Lubrificar os olhos é muito importante!

Cansaço, secura e irritação são alguns dos sintomas mais comuns que revelam a falta de lubrificação ocular. Na origem do problema podem estar várias situações, como alterações hormonais, infeção das pálpebras, exposição prolongada aos aparelhos digitais ou a utilização “obrigatória” da máscara ao longo do último ano. Com um papel fundamental no sistema visual, as lágrimas são responsáveis por garantir a regularização da superfície ocular, a lubrificação dos olhos, enquanto criam uma barreira protetora. Quando a produção de lágrimas é afetada, os olhos ficam normalmente secos, o que pode levar à dificuldade em focar, ardor e comichão.

Para garantir que os olhos estão lubrificados, há que ter alguns cuidados. Se a falta de lubrificação for constante, é recomendável que consulte um oftalmologista já que, a longo prazo, o problema poderá agravar-se e dar origem a uma inflamação na córnea (ceratite) ou da conjuntiva (conjuntivite).

No sentido de evitar o problema, é recomendável que esteja atento aos sintomas. Os mais comuns são:

– Irritação e sensação de areia nos olhos.

– Visão turva, principalmente no final do dia.

– Dificuldade em usar lentes de contacto.

– Maior sensibilidade à luz.

Recomendações para lubrificar os olhos

Nos casos em que os olhos secos surgem associados a outras situações, é importante identificar a verdadeira origem do problema. A utilização da máscara, aumentando o fluxo de ar através da mesma em direção aos olhos durante a respiração acelera a evaporação contínua do filme lacrimal e com o uso prolongado, traduz-se, inevitavelmente, num aumento excessivo da irritação e inflamação da superfície ocular. Para ajudar a que a irritação diminua, existem diferentes colírios e gotas sem conservantes que podem reduzir o desconforto ocular. Neste caso sugiro que se aconselhe junto do seu médico sobre qual o melhor produto com as características indicadas para o seu tipo de olho seco.

Adicionalmente, deve também evitar situações que agridam os olhos. Deixamos, em seguida, algumas recomendações:

– Trate sempre das inflamações das margens das pálpebras

– Faça pausas curtas para descansar os olhos e pestaneje para promover a lubrificação

– Evite períodos de exposição longa a ecrãs (televisão, computador ou telemóvel)

– Evite lugares secos ou onde estejam fumadores

– Utilize óculos de sol para proteger os olhos da luz e do vento

– Utilize óculos de mergulho quando nadar na piscina ou no mar

– Evite locais com ar-condicionado

– Controle o instinto de coçar os olhos com as mãos.

J. Salgado-Borges. MD, PhD, FEBO

Diretor Clínico da Clinsborges 

Embaixador em Portugal do TFOS

(Tear Film & Ocular Surface Society)

You may also like...