“Colocamos o cliente no centro de tudo o que fazemos”

Apoiar e aconselhar as pessoas no acesso ao crédito, ajudando-as a realizar os seus sonhos e contribuindo para o seu bem-estar é o grande propósito apontado por Samuel Neves, Diretor-Geral da TD Crédito, em entrevista á Revista Business Portugal, ao mesmo tempo que destaca a importância “de falar humano, colocando as pessoas no centro de tudo o que fazemos”.

 

Samuel Neves, Diretor-Geral

A TD Crédito acredita e coloca em prática um serviço próximo, profissional e transparente que simplifica e desconstrói a complexidade do serviço de crédito, sem dificuldades e burocracias desnecessárias?

Sim é verdade, sabemos que pedir dinheiro não é fácil. É um processo complexo, que muitas vezes, se revela constrangedor para os clientes. Por isso, lutamos contra as complicações burocráticas, as zonas nebulosas e a ausência de explicações. Lutamos pela transparência e pela verdade nas soluções que apresentamos e na forma como gerimos expectativas e as emoções dos clientes. Acreditamos que para satisfazer as necessidades dos nossos clientes, evitando ilusões e falsas expectativas, é necessário compreender o seu perfil e a sua envolvente. Ajudamos os nossos clientes, colocando o nosso talento ao seu serviço, de forma a obter a melhor solução de crédito.

 

Seja qual for a finalidade, o propósito é transversal a todos os serviços, encontrar a melhor solução de crédito para o cliente, ajudando-o a realizar sonhos e, desta forma, contribuir para o seu bem-estar?

Sim, o nosso propósito é apoiar e aconselhar as pessoas no acesso ao crédito, ajudando-as a realizar os seus sonhos e contribuindo para o seu bem-estar. Procuramos encontrar a melhor solução de crédito, de forma interessada, verdadeira e colocando o cliente no centro de tudo o que fazemos.

 

Com o desgaste económico e financeiro que as pessoas vivem, de uma forma generalizada, quais têm sido os maiores desafios para os sectores do investimento e crédito? E no vosso caso em particular?

O sector bancário em Portugal, está sujeito às consequências da grave crise económica devida à pandemia. A este cenário juntamos ainda as alterações que a prestação dos serviços financeiros está a sofrer pela inovação tecnológica, o desenvolvimento macrofinanceiro e regulamentar, as mudanças de comportamento dos consumidores, a regulação, o risco de crédito e solvabilidade. Para a TD Crédito os grandes desafios estão relacionados principalmente com a burocracia, a regulamentação e a digitalização onde pretendemos fazer um forte investimento.

 

Dada a fragilidade económica e financeira dos portugueses, é cada vez mais importante clarificar e ter uma linguagem simples, direta e humanizada. É com estes valores que se irá reger o futuro da TD Crédito?

Sim, sem dúvida, na TD Crédito colocamos as pessoas no centro de tudo o que fazemos. Dizer isto é fácil, consegui-lo exige estarmos sempre focados nos nossos clientes. Queremos ser conhecidos por isso mesmo. Sabemos que a proximidade depende de uma comunicação aberta, de feedback claro que esclarece dúvidas, de estarmos presentes quando o cliente precisa, de conseguirmos gerir a sua ansiedade. Para nós proximidade é ajudar um cliente a resolver a sua situação financeira. E, por isso, acreditamos que falar humano faz toda a diferença. Porque falar humano significa agir com empatia. Falar humano é perceber que daquilo que fazemos depende o bem-estar de alguém.

 

You may also like...