À conquista do mundo

Em entrevista, Joaquim Fernandes, assume que a sustentabilidade tem sido um dos principais pilares da Nogueira Fernandes.

“Um mundo em madeira” é o lema da empresa. Foi com o propósito de dar vida aos sonhos dos clientes que decidiram arriscar e abrir o vosso próprio negócio? Como é que tudo começou?

Tudo começou em 28 de setembro de 1992. Cinco irmãos (Joaquim Fernandes, Alberto Fernandes, Fernando Fernandes, Paulo Fernandes e Miguel Fernandes) decidiram concretizar o sonho de fazer nascer uma empresa de construção em madeira e fizeram do seu nome, a marca: Nogueira Fernandes. A nossa primeira morada foi em Perafita, num pequeno armazém construído por nós mesmos. Com um pedido conjunto do subsídio de desemprego, a Nogueira Fernandes trabalhou durante nove anos em exclusividade para a empresa Consorcil. Contudo, os sonhos cresceram e por isso decidimos arriscar e conquistar o mundo por nós mesmos.

 

Em 2001, adquirimos uma infraestrutura na Zona Industrial da Varziela, em Vila do Conde, onde permanecemos durante sete anos. Foram nessas mesmas instalações que começamos a realizar as nossas próprias construções esforçando-nos por criar produtos desejáveis, tecnicamente evoluídos e com um grande respeito pelo meio ambiente. O tempo foi passando e a Nogueira Fernandes conseguiu, assim, desvincular-se da empresa sobre a qual tinha exclusividade. Contratou mais colaboradores, adquiriu novas máquinas e aumentou consideravelmente sua carteira de clientes.

Para acompanhar o seu crescimento, a empresa foi mudando de instalações para receber maiores equipamentos e projetos, foi o caso do armazém em Custóias onde permaneceu até 2008. Em 2020, em plena pandemia por Covid-19, a Nogueira Fernandes mudou a morada para onde tudo começou: Perafita. Agora, nas suas maiores instalações de sempre, a Nogueira Fernandes tem grandes sonhos por conquistar.

 

 

 

Falamos de uma empresa que já conta com mais de 29 anos de experiência no mercado. Assim sendo, o balanço que faz é positivo?

O balanço é positivo. Temos crescido muito e a procura, felizmente, tem aumentado. Já vemos casas em madeira espalhadas um pouco por todo o nosso Portugal e isso deixa-nos orgulhosos.  Recentemente, tornamo-nos uma empresa certificada pela APCER e já podemos contar com uma carteira de clientes de renome com os quais temos um enorme prazer em trabalhar. Podemos destacar alguns, além do caso que demos acima. São eles: Expertwoods, Grupo Pestana, Grupo Tivoli e Grupo Nau.

 

Relativamente à oferta, quais os serviços disponibilizados ao cliente? Que valores fazem desta uma empresa única e merecedora de confiança?

A qualidade dos nossos materiais e o tempo de construção (máximo de seis meses) são dois aspetos diferenciadores da nossa empresa. Temos uma equipa diversificada que está pronta a resolver todas as etapas para que o projeto se realize no menor tempo possível.

Além disso, acreditamos que a empatia e a forma acolhedora como recebemos os nossos clientes é algo que faz a diferença. Contudo, a sustentabilidade, sem dúvida, é um dos aspetos que mais nos distingue no mercado. A Nogueira Fernandes preocupa-se, em todas as etapas, com o meio ambiente. Não avançamos com um projeto que sabemos, à partida, que poderá ter impacto na natureza.
Felizmente, a satisfação dos nossos clientes faz com que exista muito o “passa-a-palavra”. Acreditamos, também, que tal acontece pela qualidade das nossas construções e pelo suporte que damos ao cliente. Tentamos sempre nunca deixar o nosso cliente desamparado, estando sempre disponíveis para duvidas, alterações, etc.

 

A sustentabilidade é uma das maiores preocupações da Nogueira Fernandes. Que medidas é que têm sido adotadas no sentido de proteger o meio ambiente?

A Nogueira Fernandes tem a sustentabilidade como um dos principais pilares da empresa. Não avançamos com um projeto que sabemos, à partida, que poderá ter impacto na natureza. Por isso, tanto a nível interno como externo, tentamos ao máximo elevar os nossos padrões de sustentabilidade.

A nossa madeira, por exemplo, é proveniente do norte da Europa, de florestas sustentáveis certificadas. Ainda assim, a madeira é um produto de origem natural, cujo processo produtivo exige baixo consumo energético, quando comparado com outros produtos industrializados. Ao contrário de outras matérias-primas, quando a madeira envelhece ou deixa de desempenhar a sua função estrutural, não constitui qualquer perigo para o meio ambiente, já que é facilmente reconvertida. Embora da construção não resultem resíduos consideráveis, a Nogueira Fernandes, assegura o seu correto tratamento, através de processos apropriados de reciclagem/recuperação de substâncias orgânicas. Os produtos que usamos são maioritariamente ecológicos e ainda temos cerca de 620 painéis solares nas nossas instalações que nos permite ter energia suficiente para trabalharmos a todo o gás.

 

No vosso portfólio constam habitações, bares de praia, bungalows, entre outros…. Algum projeto em específico que queira destacar?  E em termos futuros, o que podemos esperar da Nogueira Fernandes?

Todos os nossos projetos são especiais para nós. Orgulhamo-nos de cada um deles. Desde habitações a grandes estruturas. Contudo, se tivéssemos que ressalvar algumas – que não habitações – poderíamos destacar a restauração da cobertura do Teatro Circo, em Braga, a Zmar, no Alentejo, restauros nos hotéis Tivoli e vários bares de praia, por exemplo. Também podemos incluir as 75 casas que estamos, de momento, a construir na Comporta para o Grupo Pestana.

De tantos projetos que temos na nossa história, há um que nos marcou particularmente e que não podíamos deixar de referir: uma ala de cuidados intensivos para doentes com covid-19, para o Hospital Pedro Hispano. Em apenas duas semanas concluímos a ala. O projeto ganhou prémios nacionais e internacionais.

Para o futuro, temos como objetivo principal a produção de CLT (Cross Laminated Timber). A Nogueira Fernandes será uma das primeiras empresas a produzir este material, em Portugal, de uma forma industrializada.

 

You may also like...