Uma estratégia assente na inovação e no conhecimento

M-PRESS, unidade modular pertencente ao grupo de produtos M-CONCEPT

M-PRESS, unidade modular pertencente ao grupo de produtos M-CONCEPT

 

CEO Greenflow, Carlos Cardoso, em navio

CEO Greenflow, Carlos Cardoso, em navio

A Greenflow é uma empresa recente, que baseia as suas forças no conhecimento profundo do mercado e na qualidade dos seus recursos humanos. Carlos Cardoso, CEO, em entrevista à Revista Business Portugal, dá a conhecer o universo Greenflow, destacando uma forte identidade e política empresarial baseadas em conhecimento, rigor, transparência e, obviamente, em valores ambientais norteados pela sustentabilidade e reintrodução dos materiais num segundo ciclo de vida. 

 

 

Quem é Carlos Cardoso? Como define o seu percurso até chegar aos dias de hoje? Que princípios imprime na sua liderança e estratégia?

Sou Engenheiro Químico de formação pela Universidade de Coimbra, com cerca de 25 anos de experiência em processos de tratamento de resíduos. Fiz um percurso profissional em várias empresas ligadas à reciclagem e regeneração de resíduos em novos produtos, muitas delas em cargos de direção. Tenho-me concentrado nessa área, que hoje se apelida de Economia Circular. Os últimos anos acabaram por conduzir-me a uma vida empresarial, hoje com várias empresas a operar nessa vertente da circularidade. O meu princípio de base, em termos de liderança, é centrar-me nas pessoas, que para mim são o pilar de qualquer organização.  Tento rodear-me dos melhores profissionais, e trabalharmos num ambiente positivo, de partilha de responsabilidades e de objetivos, em equipa. A estratégia, em termos empresariais, centra-se no conhecimento e na inovação e, por outro lado, no que respeita a soluções tecnológicas, procuramos acompanhar os nossos clientes e garantir que os resultados são os esperados. Não nos limitamos, neste aspeto particular, a vender equipamento. Vendemos soluções.

Cisterna Greenflow

Cisterna Greenflow

A Greenflow é uma empresa recente que tem vindo a alcançar um patamar de relevância no mercado internacional. Como nasceu este projeto? Como descreve o universo Greenflow e quais os valores que têm norteado o seu crescimento e desenvolvimento?

A Greenflow Marine nasce originalmente em 2012, na altura com o nome NPRF PORTUGAL ligado ao Grupo NATURE (cotado em Londres) que detinha 55% da empresa e, cuja atividade é mais operacional, centrada na recolha e reciclagem de resíduos de hidrocarbonetos produzidos em navios e comercialização dos produtos reciclados. Em 2017, o Grupo decide sair de Portugal por razões estratégicas e, na altura, sendo membro da comissão executiva, foi-me dada a oportunidade de ficar com a participação do Grupo. Passou assim a integrar o universo Greenflow.

Ao mesmo tempo, o Grupo Nature faz, em 2017, também o spin-off das atividades de Projeto e Engenharia que estavam concentradas numa participada sediada em Cornwall (UK) e decidimos integrar essas atividades na Greenflow Engenharia, empresa que eu detinha a 100% e que já se dedicava às atividades de projeto e construção de soluções de reciclagem de resíduos, nomeadamente hidrocarbonetos e solventes, desde 2014. 

A Nature Engineering tinha presença internacional em projetos de resíduos marítimos e foi um catalisador para uma presença mais forte da Greenflow a nível internacional também. O que vemos hoje, é o resultado do desenvolvimento dessas duas empresas ao longo destes últimos anos. A Greenflow tem assim várias valências, umas mais operacionais como é o caso da Greenflow Marine, outras mais concetuais, como é o caso da Greenflow Engenharia. Os nossos valores, espelhados na nossa política empresarial, baseiam-se em conhecimento, rigor, transparência e, obviamente em valores ambientais norteados pela sustentabilidade e reintrodução dos materiais num segundo ciclo de vida. A regeneração de resíduos em novos produtos é o fio condutor das nossas atividades. Tentamos, conforme já referi, introduzir inovação em tudo o que propomos ao mercado. Por outro lado, fomos construindo uma reputação sólida ao longo dos anos e, esse ativo, permite uma presença consolidada em mercados mais complexos, onde o rigor, fiabilidade e qualidade das nossas soluções são mais importantes que outros aspetos comerciais.

Uma equipa com larga experiência nacional e internacional que centra a sua atuação no reaproveitamento de resíduos enquanto matéria-prima, potenciando assim a economia circular, e que acompanha os clientes para assegurar os bons resultados. Este pode ser considerado um dos valores fundamentais da Greenflow?

É de facto o pilar da nossa atuação. Quer ao nível dos produtos reciclados, quer ao nível das soluções tecnológicas. 

Unidade de destilação para regeneração de hidrocarbonetos – Algeciras

Unidade de destilação para regeneração de hidrocarbonetos – Algeciras

A Greenflow apresenta soluções inovadoras para diminuir a pegada ecológica em sectores fundamentais da economia. Qual o conceito das soluções apresentadas pela Greenflow e qual a importância que tem para a empresa o contributo para um planeta mais sustentável?

As nossas soluções, como o M-CONCEPT por exemplo, centram-se em proporcionar tecnologia acessível, inovadora, com elevada fiabilidade, e simples de operar em qualquer geografia. Ou seja, temos uma preocupação técnica, no que respeita a cumprir com o objetivo proposto de tratamento, mas também temos uma preocupação de poder propor soluções modulares que possam minimizar o investimento inicial, para além de serem integráveis módulo a módulo e de funcionamento simples. A ideia do M-CONCEPT, que é um produto pensado para instalações portuárias de receção de resíduos (os chamados PRF da convenção MARPOL) ou campos de exploração de petróleo por exemplo, é poder aplicar-se nas mais diversas situações, sendo que cada módulo responde a um problema técnico específico, podendo ser instalados um, dois ou dez módulos, em função do tipo de tratamento preconizado, e sendo modular, minimiza a necessidade de construção civil no local, bem como otimiza a cadeia logística e, por conseguinte, minimiza aí também a pegada de CO2. Os módulos são construídos em contentor marítimo, prontos a funcionar e podem ser expedidos como tal para qualquer parte do globo. Quer as soluções tecnológicas, quer as soluções operacionais, visam a redução de poluição através da recolha e tratamento dos resíduos, mas também a transformação desses resíduos em novos produtos, o que reduz de per si o uso de matéria-prima virgem. Por outro lado, todo o design e forma de aplicação das tecnologias propostas, conforme explicado, tem em conta a redução de CO2 em todo os momentos.

Projeto case study de Algeciras, Espanha

Projeto case study de Algeciras, Espanha

O grupo empresarial compreende a Greenflow Engineering, Greenflow Chemicals, a GreenSpain e a Greenflow Marine, empresas vocacionadas na sua essência para tecnologias e serviços focados na reciclagem de resíduos, com vista à obtenção de novos produtos. Quais são os fatores distintivos nummercado cada vez mais global e competitivo?

A Greenflow Engenharia, distingue-se pela sua experiência, inovação e criatividade bem como uma reforçada reputação de fazer bem. Faz o que diz e diz o que faz. A Greenflow Chemicals, distingue-se pela qualidade dos seus produtos reciclados, conhecimento profundo do mercado e presença consolidada em mercados com um grau de exigência elevado, onde a penetração comercial é mais difícil. A Greenflow Marine proporciona soluções de transporte e tratamento de resíduos que garante aos seus clientes uma resposta em qualquer circunstância, mesmo em alturas de crise profunda, como foi o caso desta pandemia e da crise dos preços do petróleo em 2020. Essa fiabilidade é muito valorizada no sector marítimo. A Greenspain, representa todos esses valores no mercado espanhol, bebendo das várias valências e soluções do restante Grupo. A equipa de gestão em Espanha acumula décadas de experiência no mercado e é obviamente uma grande mais valia, não só para o mercado espanhol, mas também para outros mercados. Também aproveitamos esse conhecimento nas empresas portuguesas. A equipa de gestão do Grupo inclui quadros de Espanha e Portugal, é coesa, multidisciplinar, com partilha constante de ideias. Isso também é uma das nossas forças.

Especializada na prestação de serviços de gestão de resíduos provenientes de atividades marítimas, a Greenflow Marine conta com uma equipa com larga experiência e extremamente habilitada a fornecer as melhores soluções adequadas a cada cenário. Quais são soluções que a Greenflow Marine disponibiliza ao mercado e quais as suas mais-valias?

Proporcionamos soluções de recolha e tratamento dos resíduos produzidos pelos navios, no âmbito da convenção MARPOL. Somos operadores licenciados para o Porto de Lisboa, onde trabalhamos em parceria com a CARMONA. 

“Think Global, Act Local” é o lema adotado pela Greenflow Marine, propondo assim soluções adaptadas às legislações locais, mas também às instalações existentes para a gestão de resíduos. Podemos afirmar que esta capacidade de fornececer soluções à medida é um ponto forte do ADN da Greenflow e uma mais-valia face aos vossos clientes?

É de facto uma força nossa. Conseguimos com a nossa experiência propor soluções à medida. Já tivemos projetos onde o cliente simplesmente não conseguia que nenhuma empresa assumisse a responsabilidade de fornecer a tecnologia e garantir os resultados da mesma. O próprio M-CONCEPT permite por vezes, com a utilização de um determinado módulo, melhorar um processo existente.

O mercado internacional é uma grande aposta da empresa, nomeadamente para o M-CONCEPT, uma solução técnica, pronta a ser utilizada como recepção portuária, capaz de tratar todo o tipo de resíduos oleosos. Em que consiste esta solução inovadora e quais as vantagens da sua aplicabilidade?

O sector marítimo tem uma convenção denominada MARPOL, sob a cúpula da IMO, e assinada pela quase totalidade dos países. Essa convenção obriga os portos a dispor de infraestruturas de recolha e tratamento de resíduos, nomeadamente os resíduos líquidos oleosos produzidos na casa da máquina, os chamados resíduos do Anexo 1. O M-CONCEPT é um conjunto de módulos desenhados para dar resposta a esses resíduos oleosos, contentorizados e prontos a funcionar. Cada módulo responde a um problema específico.  O M-EBS por exemplo, dedica-se a separar água emulsionada em hidrocarboneto. O M-DAF, a tratar águas oleosas por aeroflotação, o M-PRESS a secar as lamas geradas nos processos, o M-SCRUB a tratar os gases e odores, o M-CARBON a filtrar e reduzir a carga orgânica, como um passo adicional a alguns tratamentos convencionais, entre outros. Podemos aplicar todos os módulos e ter assim uma instalação completa para tratar resíduos marítimos, ou aplicar só alguns módulos em situações muito específicas.

 

Conseguimos com a nossa experiência propor soluções à medida

 

M-DAF, unidade modular pertencente ao grupo de produtos M-Concept

M-DAF, unidade modular pertencente ao grupo de produtos M-Concept

A Greenflow tem um vasto portfólio de projetos e trabalhos realizados. Qual ou quais os projetos que elege como mais emblemáticos e desafiantes? Que novos projetos estão delineados a médio prazo?

Houve alguns projetos com grau de dificuldade técnico elevado, como o M-STRIP e M-SCRUB instalado em Malta. Ou uma instalação de destilação de hidrocarbonetos em contínuo, que executamos em 2021, em Algeciras. Ambos foram desafiantes e emblemáticos. A médio prazo, temos de terminar o comissionamento de duas instalações em Espanha, uma concluída e outra ainda por concluir. Temos um potencial projeto na Ásia para uma instalação completa de resíduos marítimos, onde todos os nossos módulos vão ser instalados, e um projeto para Houston no 1º trimestre de 2022. África é também um mercado onde várias oportunidades estão em estudo.

Em termos de futuro, quais os objetivos e ambições que a empresa pretende conquistar? Que estratégia está assumida para que a Greenflow continue a ser, cada vez mais, uma referência?

Apostamos numa presença de referência nos mercados asiático e do oeste africano, com as nossas soluções M-CONCEPT. É nossa intenção ainda consolidar as atividades de Greenflow Marine e da Greenflow Chemicals, esta última com um grande potencial de crescimento na exportação. Por outro lado, temos em carteira o desenvolvimento de uma solução inovadora para o tratamento de resíduos da limpeza de separadores de hidrocarbonetos, que estamos em crer poder estar operacional no final de 2022. 

Unidade de destilação para regeneração de hidrocarbonetos – Setúbal

Unidade de destilação para regeneração de hidrocarbonetos – Setúbal

 

You may also like...