Arquivo Mensal: Novembro 2018

0

Magos Irrigation Systems: Regar e fertilizar para bem colher

Fruto da fusão de empresas do setor da rega, a Magos Irrigation Systems surge oficialmente em 2012, mas a experiência e know-how da equipa já conta com mais de trinta anos. Especialistas em projetar e instalar sistemas de rega em todo o país, tornaram-se uma referência nacional, satisfazendo as exigências dos agricultores mais informados, contrabalançando com soluções à medida de um clima cada vez mais volátil e caprichoso.

0

TECNIFERTI : Valorização das marcas conquista clientes

Sediada em Leiria, a TECNIFERTI nasceu em 1986 para produzir e comercializar fertilizantes. O reconhecimento, nacional e internacional, das marcas fez com que os clientes depositassem toda a confiança na empresa. Em entrevista à Revista Business Portugal, o engenheiro Casimiro Soares revelou-nos os segredos de 32 anos de sucesso.

0

Município do Cartaxo: Capital do vinho e da nova agricultura

Promover o vinho e a agricultura como fatores diferenciadores do concelho é o principal desígnio do Município do Cartaxo, que procura potenciar os recursos naturais, mantendo a identidade. Situado no coração do Ribatejo, este concelho está numa posição geográfica privilegiada, quer do ponto de vista rodoviário, quer ferroviário, da capital do país. O campo, o bairro e a lezíria, com o rio em pano de fundo, atribuem ao Cartaxo uma grande riqueza paisagística. Aqui a cultura da vinha e a produção de vinho sempre estiveram ligadas ao dia a dia da população, valendo-lhe o título de Capital do Vinho.

0

Agroglobal: Semeamos negócios

A Agroglobal, que se reclama como “a maior feira agrícola da Europa a céu aberto”, aproximou a agricultura da ciência e do empreendedorismo. Os 380 expositores e mais de 100 máquinas agrícolas deram a...

0

ANAGREI: O vazio legislativo que urge suprir

Não é invulgar apercebermo-nos de que a legislação carece em certos assuntos, prejudicando empresas e sua clientela. A área de alugadores de equipamentos industriais padece dessa problemática: há falta de legislação concreta para a circulação de gruas de 60 ou mais toneladas nas vias públicas. A alternativa passa por pedir uma licença para circular dentro de um determinado percurso e aguardar entre três a seis meses para que esta seja concedida.